Circo Eleitoral

Hoje o meu país comemora a sua liberdade. Por mais inglório que tenha sido nosso “grito de independência” segundo Chalaça, há 188 anos que não estamos mais sob o comando de qualquer outra nação. Tomamos as nossas próprias decisões e escolhemos nossos novos governantes, que representarão o interesse geral.

Há data mais importante em ano eleitoral? Ano de decisão em um país que sofre com os constantes escândalos de corrupção, com a descrença popular na política e, principalmente, nos seus representantes. Um país arrasado pela miséria e pelo abandono, onde o melhor que se espera é alguma atitude de filantropia.

Assumo que somos novos com a democracia. Uma nação submetida à colônia por 322 anos, à monarquia por 67, à ditadura Vargas por 8, à ditadura militar por 21, e uma sucessão de presidentes incompetentes. Temos pouco tempo de prática. Mas estamos aprendendo?

A maioria dos candidatos atuais tem ficha suja na polícia. Sonegação fiscal, falsidade ideológica, estelionato, peculato, improbidade administrativa, crime militar, agressão, lavagem de dinheiro. A atual candidata a presidência, que lidera nas pesquisas eleitorais, é acusada de seqüestros e assassinatos no exterior nos seus anos de milícia.

O histórico eleitoral é vergonhoso, pois mesmo quando o candidato não é criminoso, ele é completamente despreparado. Em 2006, Clodovil – estilista e apresentador de televisão – foi eleito Deputado Federal. Nesse ano temos mais impressionantes candidatos: Marcelinho Carioca, ex-jogador de futebol; Netinho, cantor de pagode; Maguila, ex-pugilista;  Tiririca, humorista e palhaço. Todos com nível de escolaridade “sabe ler e escrever”.

Pelas pesquisas, Tiririca será Deputado Federal e Netinho, senador. Não parece que estamos aprendendo. Estamos derrotados e descrentes. “Rouba, mas faz” é jargão popular. “Pior do que está não fica” é slogan publicitário. O país do samba e do futebol não consegue organizar nada que não seja carnaval. Copa do Mundo é no ano da eleição presidencial. As Olimpíadas vêm com a eleição municipal.

E nas próximas presidenciais, vamos sediar o Mundial!

Não temos casas, mas teremos estádios. Não temos comida, mas teremos turistas.

A tenda está armada. O palhaço para candidato. E todos os grandes criminosos ocupando o planalto.

Anúncios

Sobre Carol Borges

Publicitária formada e linguista em formação. Interessada em tudo o que é arte, assim, de maneira bem subjetiva mesmo.
Esse post foi publicado em OPINIÕES, REFLEXÕES e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Circo Eleitoral

  1. Linda disse:

    Muy interesante Carol, digno de publicarlo en un díario. Besos!

  2. Sônia disse:

    Texto muito bem preparado, limpo e de muita informação pertinente ao momento. Triste cenário, realmente o circo está armado, assim como os bandidos que farão todo o espetáculo. E nós, espectadores paralisados e adormecidos. Esquecemos o nosso braço direito e a força que temos juntos. Deixemos a bola rolar no gramado como droga para continuarmos dopados.
    Esse merece publicação em jornal, concordo.
    Beijo!
    Sônia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s